16 de julho de 2014
nabocadolobo

O último teste; O último post

Dá-lhe!

O que mais se espera de uma situação como essas de pré-temporada é ver evolução da equipe a cada partida, e isso deu pra ver claramente. Começando pelo aspecto físico, com os jogadores com muito mais desenvoltura, mais soltos. Dois grandes exemplos foram Jhonatan e Claytinho, que pelas características de partir pra cima do marcador – o 1º é rápido porque é forte; o 2º é rápido porque é leve – hoje tiveram bem mais êxito em suas tentativas, principalmente o Claytinho, ótimo cobrador de bola parada que faz ela ir rápida, com força, sem dar tempo do goleiro sair. Parece que tem um ponto forte aí, ficaremos ligados.

Os laterais também estavam bem mais soltos, com a jogada novamente se concentrando um pouco mais na esquerda com o Anderson Luís até que o Márcio Gabriel começou a dar as caras e jogar. Fez uma ótima jogada, arrancando praticamente da área do Pelotas, dando um drible, fazendo uma tabela e indo ao fundo cruzar. Hoje a bola passou bem mais vezes pela área do adversário que contra o Trianon, bem mais. E se o nível do adversário aumentou bastante, isso significa evolução ofensiva da equipe. Jefferson com menos espaço não teve tanto tempo pra pensar, precisa apenas acertar o último passe que tentou algumas vezes, pensou muito bem mas não conseguiu executar.

Além do gol, teve ainda uma cabeceada na trave do próprio Pedrão e um chute do Gasparetto que passou raspando após uma sobra de bola pra ele. O Matheus fez 2 boas defesas, que não foram difíceis mas foram boas. No 2º tempo ainda saiu 2x bem do gol. Mas fora isso também não conseguiu mostrar-se muito. Escobar e Marcos Rogério jogam um do lado do outro e parecem bem entrosados, talvez por já se conhecerem. Se diminuiu a posse de bola até porque o adversário também jogou, a velocidade na troca de passes por menos objetivos que sejam continua alta. Não tem aquele passe de zagueiro pra zagueiro que dá pra ler a bíblia até ser completado. Muitas vezes essa bola até meio forçada demais.

No 2º tempo o Claytinho fez uma ótima jogada pela direita que deu pena do marcador que tomou 3 cortes. Aliás, parece que acharam o irmão do Filipinho. Bom, acho que o Pelotas manteve mais ou menos o que fez contra o Trianon mas tudo com mais desenvoltura, velocidade, êxito. O que melhorou foi, principalmente, a capacidade de penetração e chegada no ataque. Começou a aparecer uma boa jogada de bola parada. Talvez ainda falte um pouco mais de criação, que fica toda com o Jefferson pois os outros 2 atacantes são de jogada individual. O grande problema é o nível dos adversário que teremos pela frente. Se fosse somente pra Copinha eu estaria bem empolgado, mas pra Série D ainda têm-se que esperar até pra saber que nível realmente enfrentaremos.

Sobre a briga, não entrem na pilha dos alarmistas. Pra começar que o jogo inteiro foi bem pegado, com o juizão demorando pra meter cartão e controlar a coisa. O Escobar todo mundo conhece e continua o mesmo, pegando e chegando como em 2008.  Numa dessas o adversário não gostou e ficaram se peitando. Nisso vem um outro jogador e dá um peitásso no Escobar pelas costas, ele vira e revida com um soco. Acho que toma outro e nisso o Jhonatan já deu também, o Tiago Gaúcho encarnou um boxeador e saiu dando uma sequência em outro jogador. Também vi o Pedrão dando um tapa ou outro e não consegui ver quem mais se meteu. Mas o fato é que não teve vítima nem ninguém ingênuo na história. Os jogadores do Cerâmica também bateram. O problema foi que tudo aconteceu na frente da social, onde estava o “grosso” da torcida – não se enganem com as fotos da geral, tinha mais gente na social – e não tinha BM. Vários torcedores invadiram mas praticamente nenhum conseguiu chegar nos jogadores do Cerâmica porque os próprios jogadores do Pelotas que não se envolveram, os reservas, segurança, pessoal da comissão técnica e etc seguraram a galera. Se alguém do Cerâmica saiu machucado pelo que falaram, então reclamem pro seu colega que deu o peitásso pelas costas e começou a briga. O ponto positivo é ver que temos um time que não se esconde, que não tem medo de cara feia. Além de naturalmente unir mais o grupo.

E, meus amigos, lhes digo que essas foram minhas últimas palavras por aqui. Sim, estou me despedindo, ou melhor, dando um até logo. Comecei aqui por indicação de 2 amigos no final de 2010, naquele mata-mata em que eliminamos o NH na Copinha com um empate em casa e uma vitória por 1×0 fora com um gol de cabeça do Tiago Duarte, lembram?

Pois bem, foram quase 4 anos inacreditáveis pra mim. Quando comecei achei que ia me incomodar milhares de vezes mais do que me incomodei e achei que faria milhões de vezes menos sucesso. O blog atingiu números que nunca imaginei atingir, sendo que o melhor e mais importante de todos é o número de comentários. Se o blog é bom é porque vocês acompanham e participam, é como se estivéssemos tomando uma gelada na volta da Boca do Lobo antes do jogo e isso faz eu me sentir tranquilo na hora de opinar.

Quero agradecer imensamente o Futebol Daqui, em especial ao Rogério Albandes que sempre me deu liberdade total e todo apoio que precisei. Sempre fiz e escrevi o que quis por aqui e, felizmente, tudo deu certo. Mas como eu disse, é um até logo. Estou lançando ainda esta semana um novo projeto com mais 2 sócios e que dará continuidade ao ‘Na Boca do Lobo’. Será o site – www.duplabrapel.com.br – que vai começar a funcionar antes da estréia de ambos na Série D. Até entrar no ar o link vai direcionar vocês pra fan page do site, curtam lá que avisaremos quando ele entrar no ar, inclusive com um sorteio.

Aos mais chegados que comentam sempre, o meu profundo MUITO OBRIGADO e não me abandonem. Se não for agora no lançamento, logo em seguida teremos espaço para comentários e espero todos vocês lá pra gente continuar discutindo as coisas do glorioso.

Foi um grande prazer, uma grande experiência e que nunca esquecerei. Até mais!

Abraçoooooo!

15 de julho de 2014
nabocadolobo

Testando

Dá-lhe!

Depois de um jogo treino bem estilo jogo treino e um jogo treino bem mais forte e acredito que também mais proveitoso, agora vamos pra um amistoso. Poder testar o Bruno Renan, o próprio Fábio Gaúcho que vários comentaram ser bom jogador e a zaga com Pedrão e Gasparetto vão ser as novidades.

Minha grande preocupação é a largada. O Pelotas tem uma deficiência recente no começo dos campeonatos, quase todos. Monta bons times no papel, por vezes até empolga e na estreia… perde. E aí desmorona e não consegue retomar. Eu preferiria estrear fora porque a responsabilidade da vitória é imensamente menor, uma derrota não iria gerar uma crise aonde ela não existe. E digo isso porque vejo Edson Borges, Soares e Bruno Renan como titulares naturais e somente Bruno Renan poderá jogar hoje. O time só vai estar completo mesmo na segunda rodada e precisará de uma ou mais partidas pra encaixar. Não que não seja possível vencer com esse time que está aí. Futebol é futebol e quando a coisa tá boa pode botar até juvenil que a vitória vem. Mas é que, teoricamente, as chances são maiores quando o time tiver mais qualidade disponível.

Além disso, um amigo me comentou (alguém me corrija) que em toda Série D com chaves de 5 times somente uma vez alguém não se classificou com 12 pontos quando ambos classificaram com 13. Isso quer dizer que 4 vitórias em casa só não nos classificam por algo estranho ao campeonato. Se a gente tivesse simplesmente se salvado da segundona, nem precisaria muito mais que isso, só se salvado dela, o fator casa seria um grandíssimo ponto à favor do Pelotas. Provavelmente dividimos com o carioca da chave as menores esperanças de classificação não pela nossa possível ruindade (até porque nosso time pra ruim não serve e a comissão técnica é muito boa) mas pelos outros que compõem o grupo. Então tornar a Boca do Lobo um inferno seria a nossa grande arma. Porém com o rebaixamento e o fato dos nossos problemas terem sido escancarados eu não tenho a menor ideia de como a torcida vai reagir à tudo isso, ou seja, como será a Boca do Lobo no próximo domingo. Eu não cravo nada porque a torcida do Pelotas é bem estranha, quando tu espera algo dela normalmente ela faz diferente. O que eu acho é que 4 ou 6 pontos nas 2 primeiras rodadas são, aí sim, garantia de grande público na rodada seguinte em casa. Precisamos, todos nós, em maior ou menor grau uma sensação de confiança para poder apostar nesse time. Pra alguns isso significa ir ao estádio.

Até depois do jogo, quando além da minha opinião sobre o que vi, apresentarei pra vocês uma grande novidade.

Abraços

10 de julho de 2014
nabocadolobo

Jogo treino

Dá-lhe!

Como desgraça pouca sempre é bobagem, depois de cair o Pelotas tinha que perder um jogo-treino só pra não perder o costume. Mas foi o único chute no gol que eu lembro que o outro time deu. Uma falta pela ponta direita bem perto da área, o Bruno fechou o outro canto e os 2 da barreira se atiraram abrindo a barreira e a bola entrou bem no cantinho.

Todo mundo que vem ler aqui sabe das dificuldades de fazer qualquer análise por mais superficial que seja numa situação dessas, um 1º jogo-treino da temporada com um time todo novo. No 1º tempo o Pelotas se organizou num 4-2-3-1 bem fácil de ver. Márcio Gabriel, Salvador, Gasparetto e Anderson Luís, Marcos Rogério e Escobar; Claytinho bem aberto na direita, Jhonatan bem aberto na esquerda, Jefferson Luís centralizado e o Éber mais à frente. Os pontos positivos foram o fato que o Pelotas tocou muito, teve uma intensa posse de bola e, algo que eu gosto, os passes por mais ‘simples’ que fossem eram feitos com força, rápidos, não era aquela coisa chata e arrastada. Além disso, gostei da aproximação dos 3 homens de meio ao Éber, eles tocavam a bola já lá na intermediária. O Anderson Luís conseguiu encostar mais no Jhonatan pra tentar jogar, já o Márcio Gabriel foi menos até porque o Claytinho participou um pouco menos. O ponto negativo foi a falta de objetividade, faltou entrar mais na área, chutar mais, tentar mais. Na hora de marcar nenhum problema, o coitado do Matheus se fosse servido um mate tomava a térmica inteira. Pra mim o destaque foi o Jefferson Luís, com bastante participação e fazendo bem a função.

No 2º tempo foi, teoricamente, o time reserva. Que apesar de ter levado o gol também não sofreu mais nenhum chute que eu lembre. E esse time até uns 20 25 minutos foi um pouco mais ousado. Apesar de também tocar a bola, não tinha tanta paciência – o que pode ser bom – e já tentava alguma infiltração, principalmente com o Carlos Gato que até esses mesmos 20 25 minutos estava muito bem. Também chutou bem mais à gol, 2 deles com perigo.

Não vou dizer nem que gostei nem que não gostei, é muito pouca coisa pra dar meus palpites que sempre são furados. O que posso dizer, repetindo, é que o time tem intensa troca de passes e não é aqueles passes pra dizer que tá com a bola no pé, me parece ser bem pensado. Faltou, por exemplo, o Jhonatan conseguir driblar nas inúmeras arrancadas, coisa que causaria esse penúltimo lance que faltou. Podia ter maior participação do Márcio Gabriel também, pelo seu futebol. Bueno, faltou muita coisa e teve algumas delas. Vamos vendo.

Pra quem não pôde ir, vou dar minhas impressões dos jogadores novos:

Matheus – Tem 2 pernas e 2 braços, fora isso não deu pra ver nada.

Márcio Gabriel e Anderson Luís – Vou botá-los juntos porque são bem parecidos fisicamente e, pelo que vi, no modo de jogar. Anderson participou bem mais como eu já falei.

Gasparetto – Tem tamanho e postura de Xerifão, tentou uns 2 lançamentos malucos que não precisava. Tem força mas não pareceu lento.

Claytinho – Lembra um bocado o Filipinho com as pernas não tão compridas. E não só fisicamente, o estilo de jogo é parecido também. Leve, rápido, tenta o drible cortando pra dentro.

Jhonatan – É rápido porque tem força. É baixinho mas bem encorpado. Tenta o drible na arrancada e puxou ela tanto pra dentro quanto pro fundo do campo. Tentou muito.

Bruno (LD) – Pareceu ter personalidade, queria bastante o jogo mas não evoluiu tanto. É mais alto que o Márcio.

Helton -Pra mim o destaque do 2º tempo, com uma movimentação muito intensa, de pegada, marcando e tentando jogar. Não pareceu  se assustar com a bola apesar da característica de marcação. Tentou 2 chutes de fora da área. Eu trocaria ele com o Marcos Rogério.

William Leandro - Ainda estou me acostumando com rostos e nomes, mas acho que ele era um bem alemão do meio. Principalmente na metade final do 2 º tempo parecia bem nervoso, cometendo alguns erros por falta de tranquilidade mesmo.

Diego – Jogou mais pelo lado direito. Tem a passada larga e me deu a impressão de ser um meia de drible. Tem 19 anos.

Feliphe – Apesar da baixa estatura tem bastante força e apresentou alguns momentos interessantes. Dependendo da situação dá pra usá-lo como 9 sim.

Como foram poucos momentos, pode chegar na próxima semana e eu dizer que tudo que falei hoje tava errado. Mas creio que não é muito longe disso. Vai ser bem interessante ver a movimentação contra o Inter sexta em Poa. Aí sim, por mais que seja jogo-treino vai ser um teste muito forte.

Abraços

28 de junho de 2014
nabocadolobo

Casa nova?

Dá-lhe!

Talvez esse seja o assunto mais polêmico que poderia envolver um Clube de futebol. Cada posicionamento tem suas mais variadas – e justas – justificativas para que se faça um negócio desse porte ou não. De um ‘lado’ a história e suas lembranças. Do outro a modernização.

No meu ponto de vista o Conselho Deliberativo teve uma atitude correta ao aceitar ouvir e analisar a proposta. Porque pra mim o que determina que se faça ou não o negócio são cada um dos seus milhões de detalhes.

Tanto o Parque quanto a Boca do Lobo estão em localizações privilegiadíssimas. Talvez não fosse possível ser melhor. Ambos tem tamanhos e espaços apropriados para o que se quer deles. Porém, os dois tem o mesmo problema: são elefantes brancos com poucos enfeites e quase nada perfumados. Entendem o que eu quero dizer? Nossa estrutura física é muito bem localizada, de ótimo tamanho e, no caso do Parque com pouca funcionalidade e, no caso da Boca com pouco conforto.

Então o melhor dos mundos seria algum de nós ganhar na mega da virada e investir uns 10 ou 15 milhões tanto no Parque quanto na Boca para extrair deles o melhor que eles poderiam nos oferecer. É como tu ter 10 mil hectares e plantar 1 mil hectares de arroz e usar mais uns 3 ou 4 mil hectares pra pecuária.

Mas a nossa realidade é a tal proposta que o CD vai analisar. Eu, como o conselho, estaria aberto à analisar cada ponto e cada vírgula desse possível contrato. Se UMA coisa não estiver de acordo com o melhor pro Pelotas que o CD não aceite. Eu poderia ficar uma década aqui descrevendo cada detalhe que imagino que seja necessário pro Pelotas assinar isso. Como o fato de que teríamos que manter uma secretaria e a Loja na mesma quadra atual, o estádio novo teria que ter opções de conforto e, consequentemente, de valores de ingressos para todos os gostos e bolsos. Enfim, milhares de pequenos detalhes que são importantes e cruciais para o negócio ser bom ou ruim. Uma ‘ratiada’ e nosso futuro pode ser um caos.

Vi o Pierre comentando da localização. Concordo que é ruim. Mas é muito pior pros funcionários que teriam que se deslocar todo dia até lá do que pra nós torcedores que iríamos 2, 3 ou umas 4 vezes por mês. É um problema que seria superado por uma ótima proposta, se for o caso. Também vi muita gente comentando que não pode aceitar porque um possível pagamento periódico poderia vir a ser mal usado ou, dizem alguns, roubado. Bueno, se for por esse caso chama o Adilson e pede pra ele ir passando de portão em portão, trancar tudo, passa o cadeado e vamos torcer por algum time europeu. Não só o CD mas todos nós saberemos os valores envolvidos e cabe à todos que se exija a prestação de contas de cada centavo.

Por fim, eu acredito que seja complicado que uma investidora consiga atender todos pedidos que seriam feitos para que o negócio seja bom pro Clube e, portanto, que o negócio acabe saindo do papel. Mas a discussão – e isso não é de agora – não é se vamos vender a Boca do Lobo e sim quando isso vai acontecer. Como já foi falado a sua localização é absurdamente bem valorizada. Pensem que em toda Bento só tem 2 quadras com um único dono e a outra é a Praça que não pode ser vendida. Consequentemente é normal que essa pressão comercial e futuramente pela questão de trânsito, um dia vai ser tão forte que não poderemos mais aguentar. Ainda mais que a cidade cresce vertiginosamente em direção ao Parque Lobão. Em 5 ou 10 anos o Parque vai ter sido engolido pelo desenvolvimento por todos os lados.

Não vejo necessidade nenhuma de stress, briga, discussões ríspidas pois nada disso precisa ser feito rapidamente e muito menos com pressa. Estranho seria se uma possível negociação não durasse meses até que se aparassem todas as arestas para a tinta ir pro papel. E não é que a torcida tenha o direito de ficar em cima dessa questão, principalmente os sócios, temos sim é o dever de analisar também o que for oferecido e aí posto tudo na mesa, cada um faça pressão pela sua opinião.

Esperemos mais detalhes.

Abraços

21 de junho de 2014
nabocadolobo

Curiosidade

Dá-lhe!

Retirei do twitter – @BrasilSerieD – algo que considero interessante, apesar de ser difícil simular qualquer coisa em cima dessa informação. São as participações de cada um dos Clubes da Série D 2014, lembrando que agora ela teve sua fórmula alterada e será igual à da Libertadores. Melhor 1º contra pior 2º e assim por diante. E por não ser mais regionalizada nas fases seguintes podemos pegar qualquer time caso classifiquemos. Olhem:

Campanhas na Série D: Anapolina: 2009 (30º), 2011 (7º) – Ariquemes: estreante - Atlético Acreano: 2012 (18º)

Baraúnas: 2012 (3º) – Boavista: estreante – Brasil de Pelotas: 2012 (25º) – Brasiliense: estreante

Cabofriense: estreante – Campinense: 2012 (7º) – CENE: 2010 (22º), 2011 (19º), 2012 (17º)Central: 2009 (12º), 2010 (32º), 2013 (14º)Confiança: 2010 (27º) – Coruripe: 2011 (12º)

Estrela do Norte: estreante

Goianésia: 2013 (22º) – Globo: estreante – Grêmio Barueri: estreante – Guarani de Palhoça: estreante – Guarany de Sobral: 2010 (1º), 2013 (17º)

Interporto: estreante – Ipatinga: estreante – Ituano: 2009 (36º)

Jacuipense: estreante

Londrina: 2009 (10º), 2013 (15º) – Luziânia: estreante

Maringá: estreante – Metropolitano: 2010 (17º), 2011 (28º), 2012 (11º), 2013 (7º)Moto Club: 2009 (22º)

Operário: estreante

Pelotas: 2009 (39º), 2010 (24º) – Penapolense: 2013 (25º) – Porto: 2011 (39º) - Pr. Solimões: estreante

Remo: 2010 (16º), 2012 (10º) – River: estreante – Rio Branco: estreante

Santos: 2012 (36º) – São Raimundo: estreante

Tombense: estreante

Villa Nova: 2011 (10º), 2013 (31º) – Vitória da Conquista: 2011 (33º), 2012 (35º), 2013 (21º)

 

*Coloquei em negrito aqueles que pra mim se destacam. Baraúnas e Guarany de Sobral por terem uma 3º e 1º colocação, respectivamente, apesar de pouca participação. Os outros pelas várias e sequenciais participações, com destaque pro Metropolitano que além de empilhar uma participação atrás da outra vem melhorando claramente suas posições, chegando perto ano passado. Esses Clubes são mais experientes nesse tipo de campeonato e creio que mesmo com a mudança dos cruzamentos, levam um pouco de vantagem por, provavelmente, não se assustarem num campeonato de nível nacional. É claro que não dá pra esquecer de Penapolense, Remo, Ipatinga e Brasiliense, por exemplo, que apesar de estreantes ou pouco participativos na Série D, são reconhecidamente de destaque.

Tem que se respeitar mas acredito que seja difícil que as 4 vagas fujam de RS/SC/PR/SP*/MG e talvez o RJ, que tem um interior sem grandes destaques nacionais. Obviamente SP leva vantagem pelo $, organização, poder de contratação e tudo que já se sabe. As chances do pessoal do Norte e Nordeste vem do fato que no mata-mata suas casas cheias e pulsantes podem ser um diferencial. Acho que classificar pra 2º fase pra nós vai ser até mais difícil que os mata-matas, caso não peguemos novamente os mesmos do nosso grupo ou do outro aqui da ‘zona’, obviamente. Não que seria fácil um mata-mata, mas seria menos complicado que nossa chave que é bem encardida. O Rafael Barros que é de SC pode nos ajudar, mas provavelmente o Guarani de Palhoça vai ser o fiel da balança no outro grupo. Quem deixar de fazer algum ponto contra ele pode cair fora e ele também pode aumentar a média de pontos do grupo como um todo. Mas como eu tenho uma bola de cristal do Paraguai e todas previsões que faço dão errado, ou no caso, totalmente errado, pode ser que venha uma zebra por aí.

Vamos ver quais serão os próximos passos internamente no Pelotas para fechar o plantel. A contratação principalmente do outro camisa 9 pode dar um peso bem maior pro grupo, uma ideia mais bem formada do que o Pelotas pode fazer no 2º semestre de 2014.

Abraços!

2 de junho de 2014
nabocadolobo

É agora

Dá-lhe!

Sim, é agora. Está sendo e será nos próximos movimentos que colocaremos à prova nossa força como Clube. Perder, cair e ter dificuldade são coisas pelas quais todos os Clubes passam. A sua capacidade de mobilização e reerguimento é o que demonstra a sua verdadeira força. Na última vez que caímos a situação financeira era bem pior, a situação político-administrativa um caos e a estrutura física do Clube muito inferior a que temos hoje. Mesmo assim, poucos meses após um rebaixamento muito traumático o Pelotas entrava e entrava bem num campeonato que era muito menos atrativo que o deste ano. Fizemos um bom time que só foi desclassificado no gol qualificado por um Inter-B com Dauri e cia ltda. A resposta da torcida nem é preciso dizer que foi espetacular. Ali se viu a força do Pelotas como Clube de futebol.

Agora me parece que da mesma forma o Lobo consegue, talvez por uma mobilização extra movida por um quase desespero, ir ajeitando a casa de forma rápida o suficiente pra suportar a disputa de uma competição que agora é bem mais difícil e atrativa que aquela de 2004. Eu tenho essa impressão por algo que já falei aqui, se o treinador do quilate de um Julinho Camargo aceitou participar desse projeto é porque as coisas estão, no mínimo, bem encaminhadas. O fato de quase a totalidade das contratações até agora terem sido do agrado da torcida e algumas até uma surpresa pelo porte dos jogadores, também dá a sensação de que as coisas estão se ajeitando.

O que vai acontecer dentro do campo só esperando o campeonato começar pra saber. O fato é que até o momento o nível do grupo formado dá a entender que estamos no caminho certo e, consequentemente, a chance de irmos bem não é das piores. Agora esperamos as últimas contratações pra saber o que vem por aí.

Abraços

26 de maio de 2014
nabocadolobo

As bombas

Dá-lhe!

Apenas ouçam e/ou leiam a entrevista do Bruno Coutinho para o Eduardo Costa. Apenas isso.

Vejam o que é uma entrevista realmente interessante, com quem tem algo a dizer e não tem medo de falar a verdade e o que pensa. Obviamente ele é um jogador já resolvido que, se necessário, nunca mais precisará jogar por esses pagos porque sempre vai ter mercado em outros locais que até mesmo lhe pagam mais e lhe cobram menos. Mas entrevistas como essa é que fazem o futebol valer a pena.

Leiam, tentem não se empolgar muito, mas leiam.

Abraços

18 de maio de 2014
nabocadolobo

O grupo e o grupo

Dá-lhe!

Temos o grupo formado, aquele do qual faremos parte na Série D. E temos o outro grupo em formação, aquele do qual dependeremos pra nos levar para a Série C.

Sobre a nossa chave, não tem muito o que falar. Talvez que, à princípio, parece bem difícil. Com a sorte que eu tenho em previsões se eu falar que o Guarani de Palhoça é o único ‘morto’ das chaves do sul ele vai acabar sendo campeão invicto. Pra mim a maior incógnita é o carioca Boa Vista. O Londrina é de muito longe o favorito da chave, o fato do Ituano ter desmanchado o plantel o torna favorito até mesmo entre as duas chaves. Ainda mais porque continua jogando a Copa do Brasil, com moral e entrosado. O Ituano também creio que vá vir muito forte. Deve estar tapado na grana, cheio de empresário batendo na porta e oferecendo jogador e com pouca dificuldade em conseguir patrocínio. O Metropolitano estava esperando uma vaguinha na C e agora deu férias pro grupo, como o Boa Vista também fez há um tempo atrás. Deve vir forte.

E nós? Bueno, lentamente o Pelotas vai melhorando as expectativas que o torcedor tem dele. As renovações foram todas do agrado de todos e a contratação do Tiago Gaspareto é de qualidade, deve brigar firme pela titularidade com o Pedrão. O Matheus é um bom goleiro, experiente e que, segundo me disse quem entende, viria com nível pra ser titular até mesmo. Sobre a possibilidade das vindas de Escobar, Jovane e Paraná a coisa anima muito. Teríamos um 1º volante MONSTRO que é o Jovane, 2 volantes polivalentes que podem fazer a 1º e 2º função que são Escobar e Guedes, sendo que o Guedes se precisar faz até a 3º e ainda o Paraná que é um bom 3º mas fez bem a 2º função à frente do Jovane ano passado. Teríamos não só 4 jogadores de qualidade mas também várias opções dentro da posição. Vamos esperar não só estas possibilidades como outras que são lançadas pela imprensa. O que tranquiliza um tanto é que todos que ficaram, chegaram e até mesmo os especulados são bons jogadores.

É aquela coisa, pode dar certo, pode não dar. Mas é mais provável que dê certo quando se tem uma grande comissão técnica com um bom grupo que algo diferente disso. Agora é esperar as próximas contratações e ver com que cara o Pelotas vai ficar.

Abraços

15 de maio de 2014
nabocadolobo

Na espera

Dá-lhe.

Parece, repito, parece que as chaves da Série D vão ser apresentadas hoje. Se a CBF nunca organizou decentemente a Série D em anos normais, com uma Copa do Mundo por acontecer exatamente aqui a CBF vai ter que se mobilizar mais ainda, creio eu que esse sorteio vai ser feito pelo estagiário da segurança lá da Sede da CBF, ou coisa parecida.

No que me lembro as duas chaves da região sul nas outras edições, eram assim: RS, SC, PR, SP e SP.  – RS, SC, PR, SP e MS. Acho que alguns vão lembrar que o Cerâmica quando participou caiu na chave do Naviraiense, senão me engano. Por isso, todas as possíveis chaves que vi até agora não fazem muito sentido. Teve gente botando os 2 do RS na mesma chave, teve gente colocando representante de MG, teve gente colocando o Guarani de Palhoça na chave inversa do Pelotas. Mas o que mais faz sentido é os 2 estarem na mesma chave, vide o fato que se classificaram da mesma ‘maneira’, via Copa do 2º semestre. Como na CBF nada nunca faz muito sentido, qualquer coisa pode acontecer.

Além de esperar as chaves e tabela, também há ansiedade quanto à montagem do grupo de jogadores. Se estamos atrasados em relação à alguns times, estamos adiantados à outros, já que tem gente que nem sabe que vai disputar ainda, que dirá formando grupos. Se não tivesse Copa creio que esses que ainda disputam estariam avançados, mas com a Copa dificilmente esses grupos serão mantidos trabalhando. Se temos poucos jogadores, por outro lado pelo menos ainda creio não termos errado em nenhuma contratação. Deve ter jogador esperando convite pra times da B e C que estão nas rodadas iniciais e analisando suas carências. Depois de passada essa fase penso que o mercado deve ficar mais ‘fácil’ e até mais barato. Mas não entendo (nada) muito disso.

Eu não vejo necessidade de sair correndo pra contratar enquanto ainda não começou a pré-temporada. Quando ela começar sim, acho que precisaríamos estar com o maior número de jogadores no grupo para o trabalho ser feito com mais uniformidade. Deixando os ‘diferenciados’ e ‘negócios de ocasião’ para depois.

Quando saírem as chaves, voltamos pra tentar analisar juntos o que for possível, esperando ajuda dos amigos que moram nos outros estados pra nos contar sobre os outros Clubes.

Abraços

4 de maio de 2014
nabocadolobo

Vida de torcedor

Dá-lhe!

Empilhamos títulos entre o 2º semestre de 2013 e início do 1º de 2014. Contávamos com um time aguerrido, com qualidade, identificado com o torcedor e comandado por um treinador ótimo e vencedor. Receita perfeita… pro desastre. E aconteceu, caímos do jeito que caímos. O Presidente saiu, houveram movimentos políticos, precisamos desistir de um campeonato importante no Juvenil, nossos problemas financeiros foram externados e mastigados. Perdemos um ótimo atacante pro maior rival, outro pediu pra sair depois de 3 anos e, enquanto outros times se movimentavam, o Pelotas estava teoricamente parado.

Aí, só pro torcedor não se acostumar com coisa ruim a direção vai lá e prova que, bueno, definitivamente não somos tão pequenos assim, não nos colocamos numa crise tão profunda como é instigado e futebol é profundamente dinâmico. Não vejo alguém melhor que Julinho Camargo pra assumir o Pelotas neste momento. Penso que o Barbieri também seria ótima escolha, até porque se todos concordam que o Clube precisa de um ‘choque’ de gestão, incluindo dentro do vestiário, o Barbieri é ligado no 220v o tempo inteiro. Um ou outro estaria muito bom. Muito melhor que eu poderia imaginar.

Quando se tem problemas financeiros e administrativos tão ‘intensos’ quanto tivemos no Gauchão é natural que duvidemos da nossa própria força como Clube. Ficamos pensando quem será o louco que irá assumir uma barca dessas num momentos desses. Pois bem, não é bem assim. Como consequência do rebaixamento nossa crise foi amplamente divulgada, seja pela imprensa, seja pelas mídias sociais. Detalhes que não deveriam sair dos bastidores foram expostos. A impressão que se tinha é que o mundo acabava na Avenida. E que tudo é tranquilo em outros cantos. O fato é que nossa crise é exatamente essa que todos sabemos ricamente mas a situação de outros Clubes não é tão diferente, inclusive times que não caíram se encontram em situação até pior. Porque um Julinho Camargo depois da baita campanha que fez com um time que jogava fácil veio assumir um time ‘quebrado’ e sem moral como o nosso? A resposta exata só ele vai poder nos dar quando for apresentado nessa segunda-feira.

As coisas correm rapidamente no mundo do futebol. Todo mundo sabe a situação que os Clubes estão, ninguém mais é bobo que aceita propostas malucas sem antes ligar pra um amigo que já passou por lá pra saber o quão viável é a situação. O Julinho não ia aceitar vir pra cá se não tivesse ouvido coisas boas dos dirigentes e das pessoas do meio para as quais ele certamente deve ter ligado pra saber sobre. Se não tivesse gostado dos valores propostos para montar o grupo e o que o Clube tem a oferecer para o treinador trabalhar.

Treinador nenhum consegue vencer nada sem um bom time em mãos, mas bons treinadores aumentam, obviamente, as chances dos jogadores se apresentarem melhor, tirando mais de cada um deles. A contratação de um cara do nível do Julinho Camargo não só dá uma sacudida na moral e uma renovada nas esperanças como uma perspectiva altamente positiva para o que podemos vir a fazer na Série D. Agora é esperar quem vem pra chutar a bola. Estamos meio atrasados na montagem do grupo e temos poucos jogadores. A parte boa é que ainda não erramos em nenhuma contratação. Todo mundo que está aí é, comprovadamente, bom. Quem mais vem?

Abraços

Páginas:1234567...33»